Voltar ao topo

POLÍTICA DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES

É o conjunto de atividades caracterizadas por um processo decisório que determina a conveniência de se adquirir, manter ou descartar materiais bibliográficos e não bibliográficos, tendo como base critérios previamente pré-estabelecidos, visando a formação ideal do acervo, tornando-se um instrumento para planejamento e avaliação.
A Política de Desenvolvimento de Coleções da Biblioteca Pública Benedito Leite define critérios para a composição do seu acervo.

Objetivos

A política de desenvolvimento da coleção tem os seguintes objetivos:

  • Identificar os elementos adequados a formação da coleção;
  •  Determinar critérios para duplicação de títulos;
  •  Estabelecer prioridades de aquisição de material;
  •  Traçar diretrizes para o descarte de material.
  • Permitir o crescimento racional e equilibrado do acervo em todos os campos   do conhecimento;

Competência

Compete à Seção de Formação e Desenvolvimento de Coleções o gerenciamento das atividades de formação, manutenção e controle do acervo da Biblioteca. No entanto, é necessário um trabalho integrado entre  todos os Setores da Biblioteca, com destaque para as  seções de atendimento ao público:  Referência, Materiais Especiais e Biblioteca Infantil.

À Seção Formação e Desenvolvimento de Coleções compete:

  • estudar, propor e avaliar a política de desenvolvimento de coleções;
  • prever os recursos necessários para a formação e desenvolvimento de coleções;
  • planejar e coordenar as atividades de aquisição, avaliação e descarte de coleções;
  • selecionar material bibliográfico para aquisição e descarte;
  • promover o intercâmbio de material bibliográfico;
  • executar as rotinas de aquisição de material bibliográfico por compra, permuta ou   doação;
  • organizar e manter cadastros de editoras, livrarias e outras instituições para fins de aquisição.

Formação do Acervo

A formação do acervo da Biblioteca Pública Benedito Leite se dará através de compra, doação e permuta.
A compra do material bibliográfico obedecerá  as normas estabelecidas pela Instituição.
Na seleção do material bibliográfico serão levados em consideração os seguintes fatores:

  • Estudo da comunidade
  • qualidade do conteúdo
  • acessibilidade da língua;
  • autoridade
  • custo justificável;
  • atualidade da obra;
  • demanda;
  • falhas nas coleções
  • Pertinência do assunto;
  • Obras raras ou especiais;
  • Primeiras edições ou edições diferentes das existentes na biblioteca
  • Anotações ou dedicatórias de notáveis
  • Valor histórico para a Instituição/área
  • Estado físico de conservação
  • Texto em idioma acessível
  • Estado físico de conservação

O número máximo de livros de cada título, que ficará no acervo da Biblioteca, será de 05 exemplares. No caso de doação, a quantidade que exceder será encaminhada ao Sistema Estadual de Bibliotecas, para que seja distribuído nas bibliotecas públicas municipais.

O acervo de periódico será composto de jornais maranhenses e revistas. A aquisição de jornais se dará através de parcerias feitas com a Biblioteca Pública Benedito Leite e a empresa responsável pela publicação de cada jornal. Através dessa parceria, cada empresa encaminhará 02 exemplares de cada título, sendo 01 título enviado ao Setor de Referência ( disponibilizado para consulta diária ) e outro à  Seção de Materiais Especiais ( disponibilizado para pesquisa retrospectiva ).
O acervo de revistas será adquirido através de assinaturas e também de doação. A seleção das  coleções que serão adquiridas através de assinatura, acontecerá conforme as necessidades de informação dos usuários, que serão detectadas e sugeridas pela Seção de Materiais Especiais e Seção de Referência.

DOAÇÕES

Quaisquer doações de materiais bibliográficos são aceitas pela Biblioteca, desde que a equipe técnica as considere pertinentes ao acervo e que estejam dentro dos critérios pré-estabelecidos pela Biblioteca. Todas as doações devem ser  encaminhadas à Seção de Formação e Desenvolvimento de Coleções.

CRITÉRIOS PARA NÃO RECEBIMENTO DE DOCUMENTOS

Relacionamos abaixo as condições que não permitem a incorporação do material ao acervo:

  • Obras danificadas;
  • Obras faltando páginas;
  • Obras com folhas soltas;
  • Obras infectadas por fungos e/ou insetos;
  • Obras com conteúdo ultrapassado, como por exemplo livros de Direito que abordam leis que não existem mais;
  • Livros didáticos anteriores à 2000

O doador deverá ser notificado que o material poderá ou não ser incorporado, mediante as normas estabelecidas. Caberá à Seção de Formação e Desenvolvimento de Coleções a decisão de incorporar esse material ao acervo, repassá-lo a outras instituições ou descartá-lo.
Para cada doação recebida, deverá ser emitido um recibo com todos os dados do doador e dos documentos recebidos.

TIPOS DE MATERIAL

Como biblioteca pública, a Biblioteca deve reunir em seu acervo, diferentes tipos de material, como:

  • obras de referências (almanaques; bibliografias gerais e especializadas; censos estatísticos; dicionários lingüísticos, literários, bibliográficos e especializados; enciclopédias; mapas geográficos e históricos; atlas etc.);
  • livros;
  • periódicos (abstracts, revistas especializadas e gerais, jornais etc.);
  • todas as publicações editadas pela instituição;
  • trabalhos finais de conclusão de curso (independente de sua natureza);
  • multimeios ( microfilmes, CD/DVD-ROM, fitas de vídeo etc.);
  • outras publicações de interesse da Instituição.

FONTES DE INFORMAÇÃO PARA SELEÇÃO

Para a formação do acervo, o Setor de Formação de Coleções, além de traçar o perfil da instituição e de seus usuários, em termos de demanda informacional, necessita de conhecimentos mínimos acerca dos próprios materiais a serem adquiridos, o que só é possível via estudo de fontes de informação para seleção, com destaque para os(as):

  • materiais distribuídos por editores, distribuidores e livrarias - catálogos e listagens comerciais; livros cedidos para exames  na Biblioteca e outras opções;
  •  resenhas e anuários de periódicos;
  • bibliografias gerais e especializadas;  
  • guias de literatura gerais e especializados;
  • catálogos, listas de novas aquisições e boletins de outras bibliotecas;
  • sugestões de usuários;
  • visitas a “sebos”; visitas a livrarias, exposições literárias, feiras de livros e eventos similares;
  • informações coletadas através de redes eletrônicas de informação, com ênfase para a Internet;
  • publicações de entidades diversificadas, como a Fundação Biblioteca Nacional, o Sindicato Nacional de Editores de Livros, a Câmara Brasileira do Livro e similares.

SERÃO CONSIDERADAS OBRAS RARAS

  • Incunábulos
  • Materiais impressos até 1900
  • Primeiras edições de autores literários  renomados
  • Primeiras edições de autores maranhenses 
  • Edições especiais, reduzidas,  clandestinas
  • Exemplares especiais, com marcas de  propriedade, anotações manuscritas e/ou  dedicatórias de pessoas célebres

 ACERVO DE CUSTÓDIA

 Serão encaminhadas ao acervo de custódia:

  • Obras anteriores à 1970, que estejam em bom estado de conservação e que tratem de assuntos relevantes, mas que dificilmente são consultados

CRITÉRIOS PARA DESCARTE E BAIXA DO ACERVO

O descarte consiste na retirada definitiva do acervo de uma obra por ter sido danificada pelo uso, perdida, doada, permutada etc.

São passíveis de descarte:

  • Obras desatualizadas em termos de conteúdo. Por exemplo: gramáticas da Língua Portuguesa anteriores a 1971 (ano acordo ortográfico Brasil – Portugal); livros ou atlas geográficos que não incluam os novos Estados: Mato Grosso do Sul, Tocantins e outros; obras escritas com ortografia desatualizada; obras de ciência e tecnologia muita antigas, etc.; Os livros da área jurídica anteriores à 1980 deverão ser descartados, salvo os de valor histórico
  • Obras inadequadas pelo assunto tratado ou pelo idioma, ou ainda pela localização da biblioteca. Por exemplo: literatura em chinês ou noutra língua qualquer numa comunidade onde tais idiomas não são lidos; livro sobre as estradas de ferro do Paraná numa biblioteca do Amazonas.
  • Obras em quantidade excessiva: quando, por uma razão ou outra, a biblioteca possuir diversos exemplares de determinada obra pouco ou nada utilizada;
  • Obras fisicamente danificadas, a tal ponto, que  não tenham condições de serem recuperadas: por lhes faltarem partes essenciais ou por estarem infestadas por pragas como broca, cupim etc. que podem contaminar o restante do acervo.

REVISÕES E ALTERAÇÕES DA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES

A política de Desenvolvimento de Coleções deverá ser flexível e dinâmica, necessitando portanto, que a cada 2 (dois) anos, seja revisada, com a finalidade de garantir a sua adequação aos usuários e objetivos da Biblioteca Pública Benedito Leite.